Pesquise por Aqui :

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Observando , se faz estorias

As vezes fico pensando e por pensar tanto fico , vendo como minha imaginação é tão louca
Sou uma pessoa que amo fazer e acontecer historias em minha vida , cheias de surpresas e diverssão, por isso sou muito de observar o jeito das pessoas e tentar saber um pouco de suas vidas apenas por costumes , e modo como agem
Uma vez no metro , começei por minha jornada ivestigativa a procura de algo novo ,e no meio de tanta informação me deparei com uma pessoa que tinha a mesma semelhança que eu , era um Senhor que deveria ter cerca de 42 anos , [na hora ele me lembro um personagem de uma livro no qual estava lendo o Valdemar ele tinha a mesma postura durona de quem não tem cara de nada mais também era muito esperto ,e sabia desfarça bem ] poderia ser casado mas pra mim ele era solteiro ele usava uma jaqueta de couro preta uma calça jeans e um tenis ,seus cabelos era pretos e ja tinha algumas covinhas que poderiam significar que seus cabelos ja estavam começando a cair , ele me olhava não de um jeito tarado [como esses caras velhos de agora ] nem cara de psicopata, ou extrupador , ele me olhava com a mesma curiosidade que o olhava , com a fome de curiosidade , percebia que ele estava meio impaciente pois um dos seus dedos não paravam de se movimentar , mas não podia adquirir tanto informação pois ele sempre me olhava , seus olhos eram profundos e muito escuros quase da cor da jaqueta , ele não aparentava tristeza nem alegria , era sentimento nenhum , talvez poderia ser frustação pois quando ele olhava pela janela se via que entre as curvas da linha do metro seus olhos viajam por ai , mas ele tinha estinto e percebia que eu o olhava e voltava o olhar pelo reflexo. A bolsa dele era uma bolsa de lado , naquele bolsa acho que haveria um jornal um pente pois seus cabelos estavam muito bem pentiados , ou ate uma arma , ele tinha cara de assasino .
É e se ele fosse assasino ?
Daqueles que não tem nem dó nem piedade de ninguém poderia ser , pois ele tinha uma cara de pessoa que não fazia nenhuma diferença no meio de um milhão e é asim que essas pessoas que matam e robam todo mundo querem ser vistas como pessoas invisivéis , ele poderia ser um dono de máfia , mas achu que não era de drogas não , era algo relacinado com dinheiro o tenis que ele usava era muito caro então ele gostava de coisa de marca , se via também que ele era uma pessoa muito vaidosa mais pela época dele , porque aquela jaquetinha de couro que ele usava ninguém merece , mas o que me intrigava era se ele estava tão ancioso para chegar , porque ele não tinha nenhum relogio ;
Bom ele desceu no metro Ana Rosa , no fim foi uma surpresa saber que ele desceria lá pois ate então , ele não se levanto muito menos mexeu-se seu olhar era para o chão , penssei que ele poderia dar a ultima olhada para mim para ver se eu ainda o observava , mas parecia que ele havia despertado de uma transe e quando volto a si se levanto e saiu de dentro do metro , nem vi sua sombra sobindo as escadas
Talvez ele fosse um assasino.

2 comentários:

Luh* disse...

cuidado menina com estranhos emm! rs

beijos
gostei do blog!

Taline disse...

Nossa, gostei muito do seu blog!
Não acredito que li tudo isso aushauh'
Normalmente teria preguiça, mas do modo como você escreve nem percebi os minutos passarem, é tudo tão detalhado... Foi como se eu estivesse lá!
Também gosto de observar as pessoas, facilita na hora de escrever e inventar personagens (:
Parabéns pelo blog!
Tô seguindo
Bjs